EndogastroClínica

   

 

Gases no tubo digestivo
National Institudes of Health
Todas as pessoas têm gases no tubo digestivo, e eliminam os mesmos arrotando ou através do reto.
Muitas pessoas pensam que tem excesso de gases, quando na verdade elas têm quantidades normais. A maioria produz aproximadamente 0,5 a 1,5 litros por dia, e elimina gases aproximadamente 14 vezes por dia.

Os gases são constituídos principalmente de vapores inodoros como: gás carbônico, oxigênio, nitrogênio, hidrogênio, e às vezes metano. O odor desagradável da flatulência provém de bactérias no intestino grosso que liberam quantias pequenas de gases contendo enxofre.

Embora ter gases seja comum, isto pode ser desconfortável e embaraçoso. O entendimento das causas pode reduzir os sintomas e o tratamento pode proporcionar à maioria das pessoas o alívio dos mesmos.

Qual a origem dos gases ?

Os gases no trato digestivo (esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso) provém de duas fontes:

a) Ar deglutido.

b) Decomposição normal de certos alimentos indigestos, através de bactérias inofensivas, naturalmente
presentes no intestino grosso (cólon).

Ar deglutido

O ar deglutido (aerofagia) é uma causa comum de gases no estômago. Todas as pessoas engolem quantias pequenas de ar quando comem e bebem. Porém, comer ou beber rapidamente, mascar chicletes, fumar ou usar próteses dentárias móveis podem causar um aumento da deglutição de ar.
O arroto é o modo pelo qual a maior parte do ar deglutido, que contém nitrogênio, oxigênio e gás carbônico, é eliminada. Os gases restantes passam ao intestino delgado onde são parcialmente absorvidos. Uma quantia pequena vai ao intestino grosso, sendo liberada pelo reto. O estômago também forma gás carbônico quando o acido se mistura com bicarbonato, mas a maioria deste gás é absorvida na circulação sangüínea e não entra no intestino grosso.

Digestão de alimentos

O corpo não digere e absorve alguns carboidratos (açucares, amidos, e fibras encontrados em muitos alimentos) no intestino delgado por causa de uma escassez ou ausência de certas enzimas.Esta comida não digerida passa então do intestino delgado ao intestino grosso onde bactérias inofensivas e normais digerem este alimento, produzindo hidrogênio, gás carbônico e, em aproximadamente um terço de todas as pessoas, metano. Eventualmente estes gases saem pelo reto.
As pessoas que produzem metano não têm necessariamente maior quantidade de gases ou outros sintomas. Uma pessoa que produz metano terá fezes que constantemente flutuam em água. As pesquisas não demonstraram, até agora, por que algumas pessoas produzem metano e outras não o fazem.
Alimentos que produzem gases em uma pessoa podem não produzir em outras. Algumas bactérias comuns no intestino grosso podem destruir o hidrogênio que outras produzem. O equilíbrio dos dois tipos de bactérias pode explicar por que algumas pessoas têm mais gás que outras.

Quais os alimentos que produzem gases?

A maioria dos alimentos que contém carboidratos pode produzir gases. Em contraste, gorduras e proteínas causam poucos gases.

Açúcares

Os açúcares que causam gases são rafinose, lactose, frutose, e sorbitol.

Rafinose

Feijões contêm quantias grandes deste açúcar complexo. São achados quantias menores em repolho, brotos de bambu, brócolis, aspargos, outros legumes e grãos inteiros.

Lactose

Lactose é o açúcar natural do leite. Também é achado em derivados de leite, como queijos e sorvetes e alimentos processados, como pão, cereais e molhos para saladas.
Muitas pessoas, particularmente os africanos, americanos nativos e asiáticos, têm baixos níveis de lactase , enzima necessária para digerir a lactose. Também, com o envelhecimento das pessoas, suas enzimas diminuem.
Como resultado, com o passar do tempo, pessoas podem experimentar quantias crescentes de gás depois de comer alimentos que contém lactose.

Frutose

Frutose é naturalmente presente em cebola, alcachofras, pêra e trigo. Também é usado como um adoçante em refrigerantes e sucos de fruta.

Sorbitol

Sorbitol é um açúcar achado naturalmente em frutas, inclusive maçãs, pêras, pêssegos, e ameixas secas. Também é usado como um adoçante artificial em muitas comidas dietéticas, balas e gomas.

Amidos

A maioria dos amidos, inclusive batatas, milho, macarrões, e trigo, produzem gás uma vez que eles são decompostos no intestino grosso. Arroz é o único amido que não produz gases.

Fibras

Muitas comidas contêm fibras solúveis e insolúveis.
Fibras solúveis dissolvem facilmente em água e transformam-se num gel, com textura macia, nos intestinos. Achados em farelo de aveia, feijões, ervilhas e na maioria das frutas, as fibras solúveis não são digeridas até que alcançam o intestino grosso onde sua digestão produz gás.
Por outro lado, fibras insolúveis passam essencialmente inalteradas pelos intestinos e produzem pouco gás. Farelo de trigo e alguns legumes contêm este tipo de fibra.



Quais são os sintomas e problemas provocados pelos gases?

Os sintomas mais comuns de gases são arrotos, flatulência, inchaço e dor abdominal. Porém, nem todos experimentam estes sintomas. Os fatores determinantes são, provavelmente, quanto gás produz o organismo, quantos ácidos gordurosos o corpo absorve, e a sensibilidade da pessoa aos gases no intestino grosso. Sintomas crônicos ou uma doença séria causados por excesso de gases são raros.

Arrotos

Um arroto ocasional durante ou depois da alimentação é normal e libera gases quando o estômago estiver cheio de comida. Porém, pessoas que arrotam freqüentemente podem estar deglutindo muito ar e podem libera-lo antes do mesmo entrar no estômago.
Às vezes uma pessoa com arrotar crônico pode ter uma desordem no trato gastrintestinal superior, como úlcera péptica, doença do refluxo gastro-esofageano ( DRGE) ou gastrite.
Acreditando que engolindo ar e libertando-o aliviarão o desconforto destas desordens, uma pessoa pode desenvolver um ciclo habitual de arrotar sem querer e pode ter desconforto. Freqüentemente, a dor continua ou piora, levando a pessoa a acreditar que ela tem uma desordem séria
Duas síndromes crônicas raras são associados com arrotar: síndrome de Magenblase e síndrome da bolha gasosa. A síndrome de Magenblase, que causa arrotar crônico, é caracterizada por severa deglutição de ar e uma quantidade aumentada de gás no estômago após a ingestão de comidas pesadas. A sensação de estufamento resultante e a respiração curta, podem imitar um ataque cardíaco.
A síndrome da bolha gasosa pode acontecer depois de cirurgia para corrigir a hérnia de hiato ou o refluxo gastro-esofageano. A cirurgia cria uma válvula entre o esôfago e estômago que permite à comida e o ar entrarem no estômago, mas freqüentemente impede a habilidade normal para arrotar e vomitar.

Flatulência

Outra reclamação comum é passagem de muito gás pelo reto (flatulência). Porém, a maioria das pessoas não percebe que a passagem de gases pelo reto 14 a 23 vezes por dia é normal. Embora raro, muitos gases podem ser resultado de uma severa mal absorção de carboidratos ou aumento da atividade bacteriana no intestino grosso.

Inchaço abdominal

Muitas pessoas acreditam que muito gás causa inchaço abdominal. Porém,as que reclamam , freqüentemente têm quantias e distribuição normais de gases nos intestinos. Eles na verdade podem ser excessivamente atentos a presença de gás na área digestiva.
Os médicos acreditam que inchar, normalmente é o resultado de uma desordem de motilidade intestinal, tal como nas Doenças Inflamatórias Intestinais. Distúrbios de motilidade são caracterizados por movimentos e contrações anormais de músculos intestinais. Estas desordens podem dar uma falsa sensação de inchaço por causa da sensibilidade aumentada ã presença de gases.
A Síndrome da Flexura Esplênica é uma desordem crônica que parece ser causada por gases aprisionados nas curvas do intestino grosso. Os sintomas incluem inchaço, espasmos musculares e desconforto abdominal superior. A Síndrome da Flexura Esplênica freqüentemente acompanha as doenças inflamatórias intestinais.
Qualquer doença que cause obstrução intestinal, como a Doença de Crohn ou câncer de cólon, também pode causar inchaço abdominal. Além disso, as pessoas que fizeram cirurgias abdominais podem fazer aderências (tecido de cicatrização), hérnias internas e podem apresentar inchaço ou dores. Finalmente, a ingestão de alimento muito gorduroso pode retardar o esvaziamento gástrico , inchaço e desconforto, mas não necessariamente excesso de gases.

Dor abdominal e desconforto

Algumas pessoas têm dor pela presença de gases no intestino. Quando os gases se localizarem no lado esquerdo do cólon, a dor pode ser confundida com doença do coração. Quando se localizarem no lado direito do cólon, a dor pode ser confundida com pedras na vesícula ou apendicite.

Que testes diagnósticos são usados?

Pelo fato dos sintomas atribuídos à presença de gases poderem ser causados por uma desordem séria, essas causas deveriam ser excluídas. O médico normalmente começa com uma revisão de hábitos dietéticos e sintomas. Pode ainda pedir ao paciente que mantenha um diário de comidas e bebidas consumidos em um período de tempo específico.
Se a deficiência de lactase for a causa suspeitada dos gases, o médico pode sugerir evitar leite e derivados por um período de tempo. Podem, ainda, ser pedidos testes de tolerância à lactose.
Além disso, para determinar se alguém produz muito gás no cólon ou é incomumente sensível à passagem de volumes de gás normais, o médico pode pedir para os pacientes que contem o número de vezes que eles eliminam gases durante o dia e incluam esta informação em um diário.
A revisão cuidadosa da dieta e a quantia de gases eliminada podem ajudar a relacionar comidas específicas a sintomas e determinar a severidade do problema.
Se um paciente reclamar de inchaço, o médico pode examinar o abdômen para afastar ascite (formação de líquido no abdômen) e para afastar sinais de inflamação por doenças do cólon.
A possibilidade de câncer de cólon normalmente é considerada em pessoas acima de 50 anos com uma história familiar de câncer coloretal, particularmente se eles nunca fizeram um exame do cólon (sigmoidoscopia ou colonoscopia). Estes exames também podem ser apropriados para alguém com perda de peso inexplicada, diarréia, ou sangue visível nas fezes.
Para pessoas com arrotar crônico, o médico procurará sinais ou causas de deglutição excessiva de ar.

Como os sintomas provocados pelos gases são tratados?

O modo mais comum para reduzir o desconforto provocado pelos gases são mudança da dieta, medicamentos, e redução da quantidade de ar deglutido.

Dieta

Os médicos podem orientar às pessoas que comam menos alimentos que causem gases. Porém, para algumas pessoas isto pode significar o corte de comidas saudáveis, como frutas e legumes, grãos inteiros, e produtos derivados do leite.
Pode ser sugeridos também a eliminação de alimentos com alto teor de gorduras, paras diminuir o inchaço e o desconforto. Isto ajuda o estômago a esvaziar mais rapidamente, permitindo aos gases passar ao intestino delgado.
Infelizmente, a quantia de gases produzida por certas comidas varia de pessoa à pessoa. Mudanças dietéticas efetivas dependem de aprender por tentativa e erro e quanto dos alimentos formadores de gases a pessoa pode controlar.

Medicamentos

Muitos medicamentos estão disponíveis para ajudar a reduzir os sintomas, inclusive antiácidos com simeticone e carvão ativado. Enzimas digestivas, como suplementos de lactase, de fato ajudam a digerir carboidrato e podem permitir às pessoas comer comidas que normalmente causam gases.
Antiácidos que contêm simeticone, um agente espumante que se junta às bolhas de gás no estômago, permite que os gases sejam arrotados mais facilmente. Porém, estes medicamentos não têm nenhum efeito nos gases intestinaisl. A dose indicada é 2 a 4 colheres de sopa da preparação de simeticone tomadas 1/2 a 2 horas após as refeições.
Tabletes de carvão ativado podem promover alívio de gases no cólon. Estudos mostraram que quando ingeridos antes e após uma refeição, o gás intestinal é significativamente reduzido. A dose habitual é 2 a 4 tabletes tomados logo antes da refeição e 1 hora depois de comidas.
A lactase, enzima que atua na digestão da lactose, está disponível em líquido e em forma de tabletes . Adicionar poucas gotas de lactase líquida ao leite antes de ingerí-lo, ou mastigar tabletes de lactase logo antes da ingestão de leite, pode ser útil para digerir alimentos que contém lactose.
Também, leite e derivados com lactose reduzida estão disponíveisl no mercado.
Podem ser prescritos medicamentos para ajudar a reduzir sintomas, especialmente para pessoas com desordem de motilidade, como na Doença Inflamatória Intestinal. Estes medicamentos podem acelerar o transito e a eliminação de gases pelo tubo digestivo.

Redução do ar deglutido

Para quem arrota cronicamente, podem ser sugeridas medidas para reduzir a quantia de ar deglutido. Estas recomendações são: evitar chicletes e evitar comer doces duros,comer lentamente e, os que usam próteses móveis, visitar o dentista para mantê-las bem ajustadas.

Conclusão

Embora os gases possam ser incômodos e embaraçosos, não são uma ameaça à vida. A compreensão das causas é o caminho para reduzir os sintomas, e o tratamento deve auxiliar a maioria das pessoas a ter algum alivio.



Pontos para lembrar

1. Todas as pessoas tem gases no tubo digestivo;

2. As pessoas muitas vezes imaginam que uma eliminação normal de gases possa ser excessiva;

3. Os gases vêm de duas fontes principais: deglutição de ar e decomposição de certos alimentos através de bactérias inofensivas, naturalmente presente no intestino grosso;

4. Muitos alimentos com carboidratos podem causar gases. Gorduras e proteínas causam poucos gases;

5. Alimentos que podem causar gases incluem:

Feijões;
Legumes, como brócolis, repolho, couve, cebola, alcachofras, aspargos ;

Frutas, como pêras, maçãs, pêssegos;

Grãos Integrais como farelo de trigo;

Refrigerantes e sucos de frutas;

Leite e produtos derivados como queijos, sorvetes e comidas preparadas com lactose como pão , cereais e molhos para saladas;

Comidas que contêm sorbitol, como alimentos dietéticos , balas e gomas sem açúcar;


6. Os sintomas mais comuns de gases são arrotos, flatulência, inchaço e dor abdominal. Porém, alguns destes sintomas são causados, freqüentemente, por um distúrbio de motilidade intestinal, como Síndrome de Intestino Irritável, ao invés do excesso de gases.

7. Os métodos mais comuns para reduzir o desconforto causado pelos gases são: mudança na dieta, medicamentos e redução da quantidade de ar deglutido;

8. Enzimas digestivas, como os suplementos com lactase, ajudam a digerir carboidratos e pode permitir que as pessoas ingiram alimentos que normalmente produzem gases.







Pesquisa em saúde:

   
>>Câncer Colorretal
>>Gases no tubo digestivo
>>O fumo e o Sistema Digestivo
>>Colonoscopia
>>Endoscopia Digestiva Alta

>>mais artigos<<
Esofagite de Refluxo x Helicobacter pylori
Paciente com queixas de epigastralgia em queimação e pirose, submetido à endoscopia digestiva alta que evidenciou esofagite severa e gastrite enantematosa leve. Deve ser feita a pesquisa de Helicobacter pylori? Em caso de ser positivo, deve ser tratado para tal?
Você sabia que a Colonoscopia (endoscopia do intestino) é considerada hoje, pela Associação Americana do Câncer, como o melhor exame para detectar lesões com potencial de malignização e câncer do intestino grosso?

·>SIM
·>NÃO

Votar

.............................................................................Produzido por: Site Express - SaúdeWeb.......................................................................................